Categories

Most Viewed

Quer o candidato ideal para a vaga? Peça que jogue vídeo game

Guy Halfteck

Coca-Cola, L`Oreal e Vodafone estão entre as empresas que já recrutaram candidatos via KnackApp, um aplicativo que combina inteligência artificial e a Teoria dos Jogos 

Esqueça os testes de personalidade, entrevistas ou dinâmicas de grupo. O perfil comportamental e potencial único de um candidato a uma vaga pode ser revelado após ele passar algum tempo jogando em um aplicativo. Essa é a proposta do KnackApp, criado por Guy Halfteck. Segundo Halfteck, usando inteligência artificial e Teoria dos Jogos, o aplicativo analisa uma série de dados do usuário enquanto ele joga, revelando suas habilidades sócio-emocionais (soft skills) de forma natural e mais verdadeira. 

Atualmente mais de 5 milhões de usuários em 100 países do mundo, incluindo a América Latina, já usam o Knack. Empresas como Coca-Cola, L´Oreal, Vodafone e Grupo Tata recrutaram candidatos por meio do aplicativo. MIT, Harvard, World Economic Forum, The Rockfeller Foundation e o Institute for the Future são organizações que produziram estudos com o Knack para avaliar o impacto dessa tecnologia na empregabilidade dos jovens e explorar o potencial inclusivo nas organizações. “Os resultados nos mostram que as empresas que estão usando Knack em seus processos de recrutamento ganham times mais diversos”, conta Halfteck.  

O fundador acredita que o Knack pode revelar talentos em todo o mundo, independente de sua condição financeira, origem cultural, formação, credenciais ou localidade geográfica. Hoje, a maioria dos funcionários do aplicativo estão baseados na África, Índia, Paquistão e Europa.

Veja a seguir, os principais destaques da entrevista de Halfteck a [EXP]:  

1 – Uma experiência pessoal decisiva 

“Nasci em Israel e me mudei para os Estados Unidos aos 25 anos, onde fiz meu mestrado na Universidade de Columbia e o doutorado em Harvard”.

“Após concluir o doutorado comecei a buscar emprego e fui indicado por Harvard para um processo de seleção de um dos Fundos Hedge mais conhecidos de Wall Street. Fiz várias rodadas de entrevista e, após alguns meses de processo, recebi uma ligação dizendo que não seria contratado. Perguntei o motivo e me disseram que ‘eu não pensava de forma criativa’”.

“Fiquei desapontado e queria saber como eles haviam chegado a essa conclusão. O argumento foi de que as entrevistas determinaram isso. Passei a pensar muito sobre isso e a me perguntar se esta era a melhor forma de uma empresa encontrar o talento mais adequado para seu negócio.” 

2 – Potencial único  

“Comecei a me perguntar: como uma empresa pode identificar o potencial oculto de alguém? Ou mesmo dizer se uma pessoa tem ou não potencial e qual ele é?”

“O que me incomodou acima de tudo foi que o único motivo para eu ter sido chamado para a entrevista foi o fato de eu ter cursado Harvard. E isso me levou ao seguinte questionamento. As empresas vão continuar a procurar os talentos nos mesmos lugares, nas mesmas comunidades? Por que não buscar por talentos que estão nos mais diversos locais do mundo?”

“Isso levanta, claro, questões de diversidade e acesso às oportunidades para milhares de jovens que não conseguiriam ocupar posições nessas empresas porque não têm credenciais”. 

“Não estou dizendo que as empresas devem fazer filantropia, elas devem buscar as pessoas com o melhor potencial para entregar resultados ao negócio. Só que elas podem estar em qualquer lugar do mundo.” 

3 – Teoria dos jogos e a pessoa autêntica 

“Comecei a pensar em como poderíamos descobrir o potencial humano, independente da origem, cultura, idade, sexo, raça, localização geográfica ou credenciais. A melhor forma de conhecer uma pessoa é olhando para o que ela faz, ao invés do que ela fala. A Teoria dos Jogos vem da matemática e é baseada em sinais. Mas como usar esses sinais comportamentais para ter insights sobre a pessoa?”

“Platão já dizia que se você jogar com alguém por uma hora saberá mais sobre ela do que se conversasse por um ano. Ao combinar a Teoria dos Jogos com a filosofia percebi que, ao observar alguém jogando, é possível compreendê-la verdadeiramente, diferente do que acontece quando ela realiza testes ou entrevistas”.

“Os jogos têm uma capacidade única de revelar a verdadeira identidade da pessoa. Por ser uma experiência natural, o jogo desafia, engaja e nos faz agir como realmente pensamos e somos. Portanto, se formos criativos, isso se manifestará na forma como jogamos. Se formos estratégicos, resilientes e lidarmos bem com o sucesso e o fracasso, isso também será mostrado.” 

4 – O início do Knack 

“O aplicativo Knack começou com um time multidisciplinar de designers, desenvolvedores de jogos, engenheiros de software, especialistas em inteligência artificial e especialistas em psicologia comportamental e neurociência. Essa equipe produziu a fórmula poderosa do Knack, um aplicativo de jogos que permite revelar os talentos individuais de cada usuário. E os jogos devem ser divertidos, desafiadores e envolventes”.

“É preciso sair totalmente do ambiente do trabalho para entender como aquela pessoa é realmente. Ao descobrir seus talentos é possível direcioná-las para as carreiras em que elas se sairão melhor”.

“Hoje, temos empresas nacionais e globais, faculdades, universidades e governos usando o Knack. E todos perceberam que cada pessoa tem um potencial único que, se bem estimulado e desenvolvido, permite uma entrega acima da média.” 

5 – Autoconhecimento e capacitação 

“O primeiro passo é descobrir os potenciais de cada indivíduo. Mas antes, é preciso ajudar essa pessoa a transformar o potencial bruto em talento e em habilidades práticas aplicáveis. Essa é a maior oportunidade para as empresas e para os governos. Não importa se a pessoa é pobre, rica, se está na África ou na Europa. Elas podem não saber ler e escrever ou ter proficiência em vários idiomas. Esses não são os fatores mais importantes.” 

O gráfico de avaliação do Knack mostra que o potencial empreendedor de estudantes de escolas europeias de elite e de estudantes em situação de desigualdade social na Índia são similares. 

6 – Ferramenta de autoconhecimento 

“Vou usar o meu exemplo. Quando fiz a faculdade não tinha uma boa percepção do que queria ser na vida. Me formei em direito e economia e segui meu mestrado e doutorado nessa linha. Hoje, me realizo como empreendedor, na área de tecnologia e inovação, segmento bem diferente da minha formação. Portanto, investi muito tempo e dinheiro em uma direção que aleatoriamente me levou até onde estou hoje, mas que poderia não ter acontecido”.

“Conhecer o seu potencial pode ser transformador e dar a melhor oportunidade para que a pessoa faça as melhores escolhas e decisões para sua vida. Isso é parte de nossa missão.” 

7 – Aumento da diversidade  

“Os resultados nos mostram que as empresas que estão usando o Knack aumentam a diversidade em seus times. Desde a diversidade acadêmica e cultural até a diversidade de gênero e de outras minorias”. 

“Fizemos diversas pesquisas com as empresas que contratam via Knack e os resultados mostram que elas obtêm resultados superiores com essas contratações. São colaboradores que desempenham melhor, ficam muito mais tempo na empresa e trazem uma visão diversa para o negócio.” 

8 – Estudos de caso e livros 

“Em nosso site há uma seção com diversos livros que foram publicados pelo MIT e por Harvard, mostrando o impacto que o Knack já causou em grandes empresas em todo o mundo. Há também estudos de caso feitos em parceria com o World Economic Forum, a The Rockfeller Foundation e o Institute for the Future que revelam como nosso trabalho pode causar um impacto importante na próxima geração de jovens.” 

9 – Carência de mão de obra qualificada  

“A Fundação Rockefeller de Nova York nos procurou para fazer um estudo e verificar a possibilidade de o Knack permitir a geração de empregos para milhares de jovens que não têm credenciais nem diploma acadêmico. E a resposta é sim”.

“Quando um empregador está buscando os melhores talentos e se prontifica a buscar os potenciais inatos das pessoas, a sair do tradicional circuito de currículo com credenciais em boas universidades, isso se torna possível”.

“Por um lado, as empresas sofrem hoje com escassez de mão de obra qualificada e, por outro, existem milhares de jovens com potenciais não-mapeados. É preciso encontrar novas maneiras de contratar os talentos do futuro.” 

10 – Futuro da plataforma 

“Estamos para lançar a nova geração do Knack, que vai permitir não só a conexão entre pessoas e empresas ou escolas mas também irá buscar as pessoas com o potencial mais adequado para um negócio”.

“Vamos abrir a plataforma para investidores que queiram apostar no potencial humano e ajudar pessoas que não têm recursos a encontrar as oportunidades adequadas para seus talentos.” 

11 – Novas empreitadas: Fress e Mentoria 

“Em julho desse ano iniciei uma nova startup, a Fress, que é um AirBNB para comida. Usamos inteligência artificial como tecnologia e a plataforma também irá oferecer oportunidades de emprego no setor de alimentos”.

“Eu usei Knack para contratar a equipe da Fress, são colaboradores que vivem em Londres e em Kigali, na África”.

“Também estou construindo uma terceira empresa, que terá como foco em oferecer orientação, treinamento e oportunidades de emprego para as pessoas. Vamos construir uma comunidade de profissionais que possam inspirar as pessoas e fazer mentoria e coaching”. 

“Estou muito animado com o potencial destas três empresas.”

Texto: Monica Miglio Pedrosa

Foto: divulgação

    Leave Your Comment

    Your email address will not be published.*

    Forgot Password

    Header Ad