Categories

Most Viewed

Insurtech aposta na digitalização do setor funerário

Bruno Gallo, fundador e CEO da Amar Assist

Com uma carteira de 100 mil vidas e faturamento estimado de R$ 20 milhões em 2022, a startup amplia atuação para o B2B2C com lançamento de software de logística funerária  

Fique ligado:

  1. O produto pretende modernizar os processos das empresas do ramo, o que pode desencadear mudanças no equilíbrio de forças do setor
  2. O uso inteligente dos dados, também no segmento funerário, começa a ser usado como base para novos negócios, o que já acontece em diversas áreas

Até o final de 2022, a Amar Assist, startup líder no segmento de assistência funerária, terá em seu portifólio um novo produto: um software de logística que pretende acelerar a digitalização das empresas do ramo, hoje majoritariamente analógicas, no país. A novidade foi anunciada pelo CEO e fundador da Amar Assist, Bruno Gallo, em entrevista ao EXP.  

“Além de contribuir para que o ecossistema seja digitalizado, o software permitirá a avaliação da qualidade do atendimento dos prestadores e impulsionará a qualificação do setor”, afirma Gallo. “Com o uso inteligente dos dados, também será possível gerar oportunidades de venda de outros produtos, como a assistência inventário, por exemplo, que é uma oferta pouco conhecida dos brasileiros.”

Modernizar para agilizar

Atualmente, toda a troca de informações entre os diversos agentes da cadeia – seguradoras, plataformas de assistência funerária e as operadoras de cartão de crédito – é feita de forma manual ou por telefone: desde o momento em que a seguradora recebe a informação de óbito até o acionamento da rede, passando pelo acompanhamento do traslado do carro funerário e o rastreamento e atualização do status de cada etapa junto à seguradora.   

Por meio do software, essa interação passa a ser rastreável e atualizada em tempo real, além de facilitar alguns processos, como a assinatura digital dos documentos e o acompanhamento remoto online do cerimonial para familiares distantes. “O modelo de negócio do novo produto prevê um licenciamento mensal do software por parte das funerárias, trazendo mais eficiência, agilidade e comodidade a todo o processo”, afirma Gallo.  

De acordo com o CEO, a entrada no modelo B2B2C é uma frente que nasce a partir de uma oportunidade de mercado e do entendimento de que a inteligência de dados que estará nesse sistema no futuro poderá gerar outras oportunidades de negócios, além da venda cruzada de produtos para a base de clientes.

Pivotando para escalar   

Para chegar à liderança do segmento, a insurtech Amar Assist pivotou seu modelo de negócios pelo menos duas vezes desde sua fundação, há dez anos. A ideia inicial, segundo Gallo, era ser uma gestora de cemitérios. Porém, mesmo antes de começar, já se reposicionou como uma prestadora de serviços funerários para seguradoras.

Assim, a empresa se tornou um braço de assistência em seguros especializados em funeral da Porto Seguro, uma das principais seguradoras do mercado, onde, por três anos, desenvolveu a capilaridade de atendimento nacional e estabeleceu parcerias com uma rede de cemitérios. “À medida que atendíamos os segurados, íamos criando critérios e controles de qualidade para as funerárias parceiras, para ter uma oferta qualificada diferenciada no setor”, diz o executivo.   

Em 2015, com o término do contrato com a Porto Seguro, a empresa já estava madura para internalizar o risco atuarial e começou a comercializar produtos proprietários de seguro da Amar para grupos familiares. A estratégia deu certo. Com a mudança do modelo de negócios para B2C, ela se estabeleceu como uma plataforma 100% digital, além de investir na criação de uma série de produtos com receita recorrente, como jazigo, cremação garantida e coroa de flores, soluções que não existiam até então no mercado, e que incrementaram o ticket da empresa em mais de 60%.   

Já em 2017, a startup recebeu seu primeiro aporte seed da DUXX Investimentos, com o objetivo de automatizar os processos, crescer a base de clientes, investir em marketing de conteúdo e qualificar a equipe interna de gestão de contratos.  O crescimento acelerado, conforme explica o CEO, é impulsionado pelo investimento em mídia de performance. “Em 2021, gastamos R$ 1,8 milhão em mídia paga e, neste ano, o valor deve ultrapassar os R$ 2 milhões”, afirma Gallo.   

Em 2021, a empresa também criou uma posição de customer sucess para observar a jornada do cliente e zelar pela qualidade dos canais de atendimento ao usuário. No site Reclame Aqui, a empresa tem reputação considerada boa, com nota 7.8, em 10, nos últimos seis meses. Segundo o CEO, todas as reclamações foram atendidas no canal.   

De olho em novas rodadas de investimentos

No caminho do crescimento das insurtechs no país nos últimos anos, a Amar Assist caminha para impulsionar seus produtos de forma a escalar seu crescimento e atrair novas rodadas de investimentos. Além de seu produto carro-chefe, a empresa desenvoveu outras soluções que propiciam receita recorrente, como o plano funerário familiar, a cobertura de jazigo garantido, sem carência para mortes por acidentes, e o seguro renda, que garante recomposição financeira para autônomos e profissionais liberais que estejam em internação hospitalar, como os motoristas de aplicativos, por exemplo. “O setor funerário está começando a se digitalizar, existe um mar de oportunidades a serem exploradas”, conclui Gallo. 

Foto: Divulgação

Texto: Monica Miglio Pedrosa

    Leave Your Comment

    Your email address will not be published.*

    Forgot Password

    Header Ad