Categories

Most Viewed

Nuvemshop vê momento de “opções de crescimento infindáveis”

Guilherme Pedroso

Plataforma de comércio eletrônico viu demanda explodir na pandemia e, em agosto, virou unicórnio. Agora, quer aumentar em cinco vezes a base de clientes, até 2025, e oferecer serviços financeiros 

Com a pandemia, a alta demanda por canais de venda online abriu um horizonte de oportunidades para as plataformas especializadas na criação e suporte de lojas virtuais. Este foi o caso da Nuvemshop, líder neste segmento do e-commerce na América Latina. A crise sanitária acelerou a migração das vendas para o online e ajudou a empresa a quadruplicar o número de clientes. Em janeiro de 2020, eram aproximadamente 25 mil lojistas na plataforma. Atualmente, são quase 100 mil deles, 50% deles no Brasil. 

A Nuvemshop, desde muito cedo, identificou o potencial da clientela brasileira. Nascida na Argentina, logo com um ano de vida, a empresa transferiu sua sede para o Brasil. Dados divulgados pela startup confirmam a força do comércio eletrônico nacional. No comparativo entre o primeiro semestre de 2021 e o de 2020, o valor transacionado pela plataforma no país cresceu 140%, atingindo R$ 1 bilhão, ante R$ 436,4 milhões do período anterior.  

O sucesso do negócio despertou o interesse de investidores. Em agosto, a Nuvemshop se tornou o mais novo unicórnio brasileiro (quando o valor de mercado atinge US$ 1 bilhão). A startup recebeu uma nova rodada de investimento, de R$ 2,6 bilhões, coliderada pelos fundos Insight Partners e Tiger Global Management, com participação de outros fundos da indústria. Hoje, é a quinta startup mais valiosa da América Latina, avaliada em R$ 16 bilhões, e tem planos de expansão para países como Colômbia, Chile e Peru. 

Em entrevista ao Experience ClubGuilherme Pedroso, country manager da Nuvemshop no Brasil, fala sobre o momento de “opções de crescimento infindáveis” da empresa, desafios e metas. Entre elas, está o objetivo de aumentar em cinco vezes o número de clientes para 2025 e investir em serviços financeiros. 

Confira alguns dos principais destaques da entrevista: 

1. Foco no sucesso dos lojistas

“Nossa receita é simples: a gente escuta o nosso lojista. O que ele precisa para ser bem-sucedido? O que é necessário para que ele possa focar na marca, no produto e no serviço dele? E a gente foi melhorando a plataforma conforme a gente foi escutando os lojistas. E esse modelo foi ganhando tração, ganhando tração. Começou com um projetinho na Argentina, veio para o Brasil e agora a gente já está no México. 

2. Meio milhão de lojistas na base para 2025

“Temos quase 100 mil lojistas na nossa base. E, se olharmos para frente, a gente quer ser muito mais. Queremos empoderar cada vez mais pessoas e empresas a serem bem-sucedidas e, quiçá, em 2025, a gente possa ter 500 mil lojistas junto com a gente.” 

3. Aquisição na área de logística 

“A Mandaê foi adquirida porque a Nuvemshop acredita que para empoderar os lojistas, é necessário quebrar todos os pontos que a gente tem no momento da experiência de compra. Uma dessas fricções está em enviar esse produto que você comprou. Nada melhor do que você ter um parceiro super forte nisso, que é o caso da Mandaê. A Mandaê consegue nos ajudar com isso, possui uma cultura esplêndida, muito parecida com a nossa, muito focada em pessoas. Foi um casamento até natural para a gente. O aporte que veio dos investidores vai muito neste sentido: quais são as outras coisas que a gente pode fazer para ajudar o nosso lojista a ser bem-sucedido? Então, fizemos a aquisição da Mandaê. E vamos impulsionar cada vez mais o desenvolvimento desse produto logístico.”  

4. Fim da fricção no pagamento 

“Temos o objetivo de tirar a fricção da experiência com o pagamento. Quando a gente escolhe um produto, a gente quer ter esse produto o mais rápido possível. Toda essa escolha de transportadora, quanto vou pagar ou o parcelamento. O que se deseja é comprar com um clique, essa é a grande tendência”. 

“Muita gente tinha medo de comprar online, seja por causa da fricção do método de pagamento ou porque a experiência não é tão boa. A pandemia fez com que a gente investisse cada vez mais em reduzir essas fricções.”

5. Ecossistema de parceiros

“Esse é um jogo que não se joga sozinho. A gente precisa ter diversos parceiros que estejam junto com a gente na mesma missão. Buscamos parceiros e o desenvolvimento em coisas vitais para sermos bem-sucedidos. Temos integração com aplicativos de marketing, marketplace, outros aplicativos de envios e de pagamentos e assim por diante. A ideia é que a gente consiga ter o melhor ecossistema de parceiros para que os lojistas estejam super bem munidos com o que precisam, num lugar só, e que possam focar na sua marca, no seu produto, ou no seu serviço. No final, é o que eles sabem fazer de melhor.” 

6.Produto personalizado 

“Dependendo da maturidade que você está como lojista, você vai acabar se tornando um pouco mais profissional, com outras necessidades. Na Nuvemshop vamos ter produtos e serviços específicos para estes grupos. Conforme o lojista vai crescendo, a gente criou um plano empresarial. Uma vez que você entrou no mercado digital, começou a ficar muito bem-sucedido, começou a contratar funcionários, a ter mais de uma loja, começou a ter mais de um tipo de estoque, o seu portfólio aumentou, você precisa de ajuda especializada.” 

“A gente consegue atender um lojista que vai vender R$ 1 mil, que complementa a renda, com uma plataforma super pequena, e também atender lojistas que vão vender R$ 1 milhão por mês, competindo com grandes marcas do mercado. Estas duas figuras são bem distintas, precisam de produtos e serviços bem diferentes.” 

7. Crescimento do online

“A gente está vivendo uma aceleração de tendência que já existia. Esse comportamento de fazer compras online já vinha crescendo, mesmo antes da pandemia. O que a pandemia fez foi, basicamente, acelerar isso.”  

“Tem muita loja, até mesmo de clientes nossos, em que houve a inversão. A loja digital começou a vender mais do que os pontos físicos. E clientes que migraram totalmente para a loja digital. Pode ser que essa tendência desacelere, mas é muito mais provável que a tendência de crescimento seja maior do que na época pré-pandemia. É mais ou menos esse cenário que a gente está vendo.” 

8. Opções de crescimento

“Talvez, a gente possa ajudar ainda mais o lojista e oferecer crédito. Crédito e capital de giro para um lojista são super importantes. Outra coisa que pode acontecer é a gente virar um banco. Já pensou ter um banco e oferecer cada vez mais serviços financeiros? A gente entende de lojistas e sabemos qual a dor do lojista. As opções de crescimento são infindáveis. Não estou falando que vamos virar um banco, mas, conforme a gente vai navegando estes anos com os lojistas, a gente vai investir em serviços financeiros, seja na nossa plataforma, seja fora.”

9. Clienteson

“Os clientes estão on. Se você não está on, está perdendo uma grande oportunidade de negócio. E tem muita gente no mercado, incluindo a Nuvemshop, que quer ajudar o empreendedor a ser bem-sucedido de verdade. Então, se alguém tem dúvida de como funciona esse mercado de e-commerce, seja pequeno, seja grande, a gente está aqui pra ajudar. Provavelmente, vamos trazer o que há de melhor na América Latina para este empreendedor. Se a gente não tiver a resposta dentro de casa, teremos um parceiro que vai conseguir ajudar.” 

10. Pontos de contato com o cliente

“Os pontos de contato da marca, produto ou serviço, sejam eles digitais ou físicos, devem aumentar. O nosso mundo físico não vai desaparecer, isso será muito difícil. Porque muitas experiências acontecem no mundo físico. A pergunta é: como isso conversa com o mundo digital? No curto e médio prazo esses dois mundos vão conviver e vamos aprender a conviver com eles. Não acreditamos que exista um cenário só de mundo digital. A gente acredita que tem o mundo online e o mundo físico convivendo de uma forma super harmoniosa.”

Texto: Ana Letícia da Rosa

Fotos: divulgação

    Leave Your Comment

    Your email address will not be published.*

    Forgot Password

    Header Ad